sábado, 22 de dezembro de 2012

Sem dúvida um grande avanço!!

No dia 20/11 preparamos uma aula super especial no Centro de Ensino Educacional 03 do Guará. Fizemos uma discussão sobre experimentação animal e discriminação racial (Aproveitando o dia da consciência negra).  

Para motivar a discussão apresentamos aos alunos o filme Quase Deuses. 
Esse filme se passa nos anos 40 e retrata a história real de um médico, o Dr. Alfred Blalock e do Técnico de Laboratório Vivien Thomas que fazem uma revolução no campo da cirurgia cardíaca. O filme retrata muitos períodos históricos marcantes e fala principalmente sobre a discriminação racial.

                                                                       

Esse dia foi muito especial, pois contamos, pela primeira vez com a presença do PIBID de Filosofia que trouxe outras visões à nossa discussão. 

Foi uma experiencia extremamente  enriquecedora não só para os alunos, mas para todos nós!!!!    
             
       

          Deixo vocês com o Trailer desse Filme que além de uma poderosa ferramenta educacional é sem dúvida um dos filmes mais emocionantes que já vi!!


Abraços, Máira e Lívia.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

E o ENEBIO, como foi?

Oi gente!

Ficamos um tempo sem atualizações mas estamos retornando com tudo!!!

Voltando um pouco nas coisas que aconteceram esse ano, não podemos deixar de falar do IV ENEBIO/II EREBIO (Encontro Nacional e Regional do Ensino de Biologia), que ocorreu em setembro de 2012, na Universidade Federal de Goiás - UFG.

Durante este evento foi realizado o I Encontro PIBID, onde conhecemos e trocamos ideias com pibidianos de todo o Brasil. Foi muito legal saber o que está sendo desenvolvido por todo o país, e ver que a iniciativa esta dando ótimos resultados! :D

O Biologia Animada marcou presença com a apresentação de trabalhos e realização de oficina. Dentre os trabalhos apresentados, havia um feito por nós (bolsistas de gradução), onde refletimos sobre a prática docente e a contribuição do PIBID para a nossa formação, intitulado: "Formação Docente: melhor com o PIBID?".

Marcos e Nina apresentando.
A oficina sobre o "Uso de cinema no ensino de biologia", tambem realizada pelo Biologia Animada foi de grande proveito! Por meio dela foi possível divulgar o nosso trabalho, e perceber o interesse de outras pessoas nas atividades que viemos desenvolvendo. O público participante foi do mais variado, desde graduandos a doutorados de todo o Brasil.

Todo o encontro foi ótimo, e ainda sobrou tempo para conhecermos um pouquinho mais da cidade!

Instituto do Trópico Subúmido - Goiás

Abraços,
Hadassa e Marcos.


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Uma experiência única!

     No dia 28/06 foi ministrada uma aula sobre abusos que podem ser realizados contra uma criança, no Centro de Ensino Médio Paulo Freire. Nesta data em especial a aula foi dada sem a professora orientadora, pois essa não podia estar presente, sendo ministrada por dois alunos: Sthephanie e Thiago.


     Na aula foram usados poucos slides e diversos vídeos que mostravam casos de abusos que haviam sido noticiados em telejornais, os alunos gostaram deste formato de aula, que priorizou mostrar o conteúdo de forma exemplificada e menos descritiva. Também foi distribuída uma imagem da turma da Mônica que continha os ideais básicos do estatuto da criança e do adolescente para que os alunos lessem e levassem para suas casas. O ponto alto da aula, no entanto, foi o jogo de mímica realizado depois do conteúdo ser ministrado.



     O intuito da mímica era ver se os alunos conseguiriam criar cenas com os temas da aula e se conseguiriam reconhecer que tipo de abuso estavam presenciando. A sala foi divida em grupos aleatórios e haveria uma premiação surpresa no fim. O jogo no entanto saiu do clima comum de sala de aula e passou a ser uma brincadeira na qual eles competiam sem muito pudor como se estivessem em suas casas.



     A aula foi realmente gratificante, pois todos os alunos, mesmos os mais tímidos participaram de alguma maneira, e a falta de supervisão direta de uma orientadora, deu um senso de responsabilidade muito maior do que já havíamos experimentado e nos deu uma perspectiva de como será lidar com uma turma, sem a "proteção" que o orientador oferece. E para encerrar podemos dizer que ver a alegria dos alunos durante a aula e no fim da mesma (após o jogo, que se encerrou de maneira exemplar), nos deu um sentimento de trabalho bem feito, que em parte concretizou nossa vontade de seguir a carreira de educadores.


terça-feira, 24 de abril de 2012

Biologia dos Super Heróis

O Universo dos quadrinhos sempre despertou curiosidade. Nele, os pesquisadores não realizam testes, não perdem tempo com estatísticas e mesmo assim jamais erram. No Centro de Ensino 2 do Cruzeiro, usando como exemplo poderes de super-heróis e utilizando trechos   de filmes  tentamos relacionar cada um desses poderes com temas biológicos.


Um dos trechos utilizados foi do filme ''The Wolfman''(de um dos diretores do Capitão América).Nele, e assim como na lenda, um homem mordido por um lobo vira um lobisomem nas noites de lua cheia. Com isso, falamos sobre uma doença rara chamada hipertricose, também conhecida como a ''síndrome do lobisomem''.






Com o Flash, personagem da DC Comics, exploramos o tema ''metabolismo''. Se ele precisa correr a velocidades de até 40000 km/s, o que aconteceria com suas proteínas? e a sua temperatura?? como ele teria que se alimentar?? Um trecho da série The Big Bang Theory, também foi utilizada.
video


 Com a personagem Tempestade, da Marvel Comics, foi possível falar sobre alterações climáticas já que um de seus poderes é o de influenciar uma região quente e seca, por exemplo um deserto, em uma região fria e úmida como uma floresta temperada.


Um dos super poderes do Magneto é a manipulação do campo eletromagnético terrestre e a capacidade de atrair objetos metálicos. Assim, como no quadrinho, um garoto na Ucrânia também possui essa capacidade(foto).Com isso,discutimos se alterações eletromagnéticas mesmo que pequenas poderiam causar possíveis efeitos biológicos.

A história de Peter Parker, o garoto que é picado por uma aranha que sofreu mutação, pode ser utilizada também para abordar temas como evolução e biotecnologia.

O Wolverine, outro personagem da Marvel possui alto poder de regeneração. Após passar um trecho do filme, falamos um pouco sobre mitose e discutimos se esse fenômeno seria possível, na ''vida real''.








Por fim, falamos também sobre os ''super-humanos'', que são pessoas que possuem capacidades sobre-humanas, realizam atividades e suportam situações surpreendentes. Um dos exemplos citados foi o  nadador Michael Phelps, o corredor Usain Bolt e Win Hof, capaz de ficar muito tempo em baixíssimas temperaturas. 


Esses são apenas alguns exemplos, dentre tantos das HQ's que poderiam ser utilizados no ensino de biologia e até mesmo em outras áreas. Um aspecto importante da aula é deixar claro aos alunos se esses super poderes poderiam existir na vida real ou não Uma reportagem interessante sobre o assunto foi publicada também na Revista Superinteressante. Vale a pena conferir! 

sexta-feira, 20 de abril de 2012


Tudo Blue!

     O filme Rio aborda questões muito importantes e que levam à reflexão, como por exemplo, a interferência (negativa e positiva) do homem no meio ambiente. A animação começa mostrando a magia que é a natureza, até a chegada de caçadores de animais silvestres.




     E é justamente aí que a trama se desenvolve, Blu, uma ararinha azul que é um dos pássaros capturados ainda filhote é engaiolado e retirado de seu habitat sendo levado para a cidade de Minnesota, nos Estados Unidos. Ao ser transportado, Blu cai do caminhão, mas logo é encontrado por Linda, uma garotinha que o cria como um membro da família.
      Blu adora sua vida de bicho de estimação, porém tudo muda quando um Ornitólogo brasileiro (Túlio) explica para Linda, que Blu é o último macho vivo da espécie. Ele quer levá-lo para acasalar com a última fêmea viva (Jade), no intuito de evitar a extinção das ararinhas azuis. Apesar do medo, Linda concorda e todos partem para o Rio de Janeiro.




     Porém, quando chegam ao Brasil  Blu e Jade são capturados por  vendedores de animais silvestres . Na tentativa de reencontrar Linda, mesmo sem saber voar, Blu participa de aventuras fantásticas, faz grandes amizades, se apaixona e luta para descobrir onde é o seu verdadeiro lugar, e por fim consegue cumprir a missão: A preservação da espécie!




     Este filme aborda questões muito interessantes como o tráfico de animais silvestres, preservação de espécies, habitat e o meio ambiente como um todo, e tudo isso de uma maneira colorida, criativa e muito divertida, ou seja, é uma ótima animação para se trabalhar diversos pontos em sala de aula!

Trailer!
video


sexta-feira, 13 de abril de 2012

Reflorestando um mundo imaginário!

     Um assunto recorrente atualmente é a conservação ambiental. Com grandes imposições, descasos e complicações pelo caminho, “salvar” o meio ambiente parece algo impossível, no entanto para Hollywood, um garoto com um objetivo pôde fazê-lo.

     
     O Filme “O Lorax: Em Busca da Trúfula Perdida” trata exatamente deste assunto, a conservação ambiental e sustentabilidade, no entanto esses temas são apenas o gatilho para outros temas voltados para ecologia como: relações entre espécies, ecossistemas, degradação do ambiente e do habitat de espécies selvagens, entre outros, isso tudo em uma trama que possui tudo o que uma boa animação deve  oferecer: comédia, aventura, uma bela trilha sonora, personagens cativantes.



     A trama se desenrola em dois momentos: No presente, de um garoto em busca de um único desejo de sua amada e na memória de um senhor cheio de arrependimentos. O jovem Ted vive em uma cidade perfeita, mas ao descobrir o verdadeiro desejo da menina dos seus sonhos parte em uma jornada por um mundo até então desconhecido para ele. Em seu destino ele se depara com o Umavezildo, um senhor que carrega consigo o fardo de ter destruído um paraíso, e para remediar tal erro ele conta ao jovem Ted sua história sobre o Lorax e as incríveis Trúfulas, onde vemos seu passado.


Trailer

video



     Este é um filme indicado para todos, pois mais do que uma grande animação essa é uma aula sobre possibilidades e riscos do nosso planeta. Crianças de todas as idades podem e devem assistir ao filme, que com certeza lhes ensinará mais do que podemos com livros texto e discursos.

domingo, 4 de março de 2012

Divulgação e inscrições para o curso no Ceduc

Durante os dias de 27 de fevereiro a 02 de março fizemos no Ceduc a divulgação e inscrições do curso que ocorrerá no turno contrário, as quartas-feiras e terá duração de um semestre.

Folder de divulgação


Este folder foi entregue aos alunos e ainda passamos de sala em sala avisando sobre as inscrições, que diga-se de passagem, foram um sucesso. Contamos com mais de 120 inscrições para o início do curso que desta vez abordará os temas Biotecnologia, Fisiologia Humana, Agroecologia e produção de mudas na própria escola.


Local das inscrições


As inscrições foram realizadas no intervalo


Muitos alunos estão animados para o curso

Ainda na mesma semana, começamos os trabalhos na escola no turno matutino com uma super aula de membrana, os alunos adoraram as imagens e vídeos que passamos junto as explicações e no final da aula, a tradicional avaliação também com imagens e vídeos.



sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Criação

"Conte-me uma história."
"Tudo bem, sobre o quê?"
"Sobre Tudo."

Em uma das aulas que ocorreu no CEM Paulo Freire, optamos por utilizar o filme "criação", que descreve a trajetória dramática de Charles Darwin ao escrever umas das obras mais impactantes da época, o livro intitulado "On the Origin of Species by Means of Natural Selection, or the Preservation of Favoured Races in the Struggle for Life Sobre" (A Origem das Espécies por Meio da Selecção Natural ou a Preservação de Raças Favorecidas na Luta pela Vida), que em sua sexta edição foi abreviado para The Origin of Species (A Origem das Espécies), como é atualmente conhecido. O objetivo da aula foi apresentar as teorias do Darwinismo, Neodarwinismo e do Lamarckismo.

Em "Criação" Charles Darwin (Paul Bettany) tem em torno de 40 anos e leva uma vida pacata em uma vila inglesa. Darwin é devotado à sua família, mas ao mesmo tempo é bastante distante deles. A causa principal é o vazio existente com sua esposa Emma (Jennifer Connelly). Darwin apenas se sente bem quando escapa para seu escritório, onde discute o dia com sua filha Annie (Martha West), de apenas 10 anos. Só que há um problema: Emma está morta, há muitos anos. Darwin conversa, ou acredita conversar, com seu fantasma. É o jeito que ele encontra para amenizar a dor que sente e o conflito que possui, ao perceber que a existência de Deus não se encaixa no mundo real.

Os alunos gostaram muito do filme, alguns até mencionaram que iriam assistir novamente em casa. Fica então a sugestão:

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Ciência e cientista: o que pensam estudantes do DF?

   As concepções sobre ciência e cientista são muito discutidas na área de Ensino de Ciências. Diversas pesquisas já mostraram indícios de que muitos estudantes, tanto de ensino médio quanto da graduação e até mesmo professores, tem uma concepção bastante deformada do que seja o fazer científico. 
   Essas deformações não só circulam em escolas e universidades, mas são reforçadas pelo que vemos na mídia e são bem demonstradas nos exemplos que seguem - em filmes, quadrinhos e reportagens:

Doc, da trilogia "De volta para o futuro", representado como um cientista louco.

Franjinha, da Turma da Mônica, o mais inteligente do bairro do Limoeiro.

 A revista Isto É, como bode expiatório para todas as outras reportagens em que a ciência descobre, prova e comprova, sem espaço para refutações. Não é à toa que Luís Fernando Veríssimo fica irritado quando a ciência resolve mudar de opinião.

Cientistas que colocam em risco a vida de milhares de pessoas, como Otto Octavius de "O Homem-Aranha".


   Com o objetivo de identificar e refletir sobre as concepções de nossos estudantes, seis dos bolsistas e duas professoras do PIBID de Biologia da UnB desenvolveram um trabalho em conjunto. Para nós, bolsistas, foi muito rico aprender ao longo desse processo de três semestres sobre a epistemologia da ciência, através de leituras indicadas pelas professoras, com destaque para o livro “O que é ciência afinal?” (Chalmers, 1993) e para o artigo “Para uma Imagem não Deformada do Trabalho Científico” (Gil Pérez et al., 2001).
   
   Durante um ano e meio fizemos reuniões semanais para discutir sobre a natureza do fazer científico e trabalhamos na categorização e interpretação das respostas dos estudantes a duas questões: “Descreva como você imagina que seja o trabalho de um cientista e quais as etapas de sua investigação” e "O cientista é um sujeito solitário, de jaleco branco, cabelo desgrenhado e óculos, que trabalha sozinho, quase escondido, num laboratório cercado de vidraria” (nessa questão foi pedido aos alunos que analisassem a descrição e respondessem se concordavam, justificando suas respostas).


   O trabalho resultante foi apresentado oralmente no VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (VIII ENPEC) e I Congreso Iberoamericando de Investigación en Enseñanza de las Ciéncias (I CIEC), que aconteceu entre 5 e 9 de dezembro de 2011 na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).


   O ENPEC é um evento promovido pela Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências (ABRAPEC) no qual há apresentação, discussão e reflexão sobre diversas pesquisas na área de educação científica. Sua primeira edição ocorreu em 1997 e desde então acontece a cada dois anos.


   A interpretação dos nossos resultados nos leva a acreditar que há forte influência da mídia na concepção dos estudantes. Por isso, acreditamos ser tão importante utilizar essas mesmas mídias no ensino, de modo a desenvolver uma postura crítica por parte dos alunos e construir uma concepção de ciência mais adequada. Entretanto, isso evidencia a extrema necessidade de discutir aspectos sobre a natureza da ciência durante a formação de professores.

Para ter acesso ao nosso artigo, clique aqui.

Equipe do PIBID-Bio UnB em Campinas

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Leitura, interpretação e apresentação de crônicas!




A longa marcha dos grilos canibais e outras crônicas sobre a vida no planeta Terra é uma obra de Fernando Reinach, biológo e escritor. O livro reúne crônicas interessantes e divertidas sobre os mais variados temas, como: ambiente, florestas, sexo, alimentação, comportamento...

Ao final do último bimestre de 2011, depois de terminar o conteúdo de ecologia no 1° ano do EM, foi desenvolvida uma atividade utilizando algumas dessas crônicas. Separei as crônicas que abordavam temas estudados pelos alunos: parasitismo, sucessão ecológica, canibalismo e outras relações ecológicas. Os objetivos da atividade eram familiarizar os alunos com leitura e interpretação de crônicas, relacioná-las com o conteúdo visto anteriormente, montar uma apresentação e avaliar a apresentação dos colegas segundo critérios pré-estabelecidos.

Cada grupo de 4 ou 5 integrantes recebeu uma crônica e um dicionário, para que durante a leitura procurassem o significado de palavras desconhecidas. Eles também podiam usar o livro e o caderno de biologia para tirar alguma dúvida sobre o tema.

O resultado foi muito bom, a maioria dos alunos realmente participou da atividade! As apresentações foram variadas, umas com desenhos, outras com textos em tópicos, ou ambos. Os grupos não foram avaliados apenas por mim, mas pelos próprios colegas também!